O QUE APRENDI COM O GRUPO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS

//O QUE APRENDI COM O GRUPO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS

O QUE APRENDI COM O GRUPO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS

Hop!

Na semana que passou tive a grata oportunidade em acompanhar de perto (profissionalmente)  uma equipe de operações especiais da segurança pública brasileira. Não caberá aqui detalhes sobre o fato propriamente dito, entretanto, trarei neste post o que vivenciei através desta experiência ímpar e inesquecível.

Apesar de óbvio, vale destacar que tudo o que for escrito aqui é resultado da minha percepção, não devendo ser entendido como “verdade absoluta” por  ninguém. São apenas constatações, que de tão enriquecedoras devem ser (creio eu) compartilhadas com àqueles que se interessam pelo tema.

Aproveito esta introdução para agradecer ao Alfa Papa Bravo e ao Alfa Papa Zulu (e a todos os demais da equipe) pela oportunidade; vocês sequer imaginam minha felicidade, levarei comigo este 5 dias pelo resto de minha vida. A vocês, deixo registrado meu mais sincero e profundo agradecimento: MUITÍSSIMO OBRIGADO POR TUDO!

ATENÇÃO: IMAGENS UTILIZADAS NESTA POSTAGEM SÃO DE CUNHO MERAMENTE ILUSTRATIVO

TÉCNICA E PROFISSIONALISMO

Tudo é feito com cuidado, atenção e foco.
A técnica sobressai, não há espaço para “loucura” e  achismos num grupo de operações especiais: atenção aos detalhes, profissionalismo e seguir o que foi determinado previamente são condições fundamentais para a conquista do objetivo final. Nada de atalhos tortuosos ou subterfúgios escusos!
Tudo é “brifado“, “desbrifado“, registrado e utilizado como estudo de caso (desde de que se encaixe nesta opção).

US-C-SOG-2

 

CAMARADAGEM

Brincadeiras sadias, zoações mil, piadas  das mais diversas, histórias pessoais e trocas (muitas trocas!) de experiências ajudam na coesão do grupo. Mais do que colegas de trabalho, os profissionais inseridos neste contexto vão além,  são verdadeiros irmãos, levando a sério o ditado: “um por todos e todos por um”.
O respeito (apesar das brincadeiras) é algo sempre presente e latente entre os membros do grupo.

6469de3c-c3b2-40ba-beb5-f63fcd3cee61

 

O COLETIVO VENCE, SEMPRE! (NADA DE EGOS INFLADOS!)

Ninguém faz nada sozinho, nunca. Todos são importantes!
Quando devem cumprir funções pré determinadas abraçam-nas de bom grado, deixando de lado desculpas e preferências pessoais. O que deve ser feito deve ser feito e ponto final.
Entretanto, por mais paradoxal que possa parecer caso alguém diga algo relevante e importante (para o bom cumprimento da missão), será ouvido com atenção pelos demais, podendo – inclusive –  ter sua sugestão acatada pelo grupo.
São, de fato, engrenagens que -unidas e azeitadas-  criam um sistema que executa o milimetricamente combinado.

engranagem_01

 

IDADES DIFERENCIADAS

Pouco importa sua idade. Lá estavam profissionais de vinte e poucos até quarenta e muitos.
A mistura da vitalidade (dos mais jovens) com a maturidade (dos mais velhos) fornece ao grupo os ingredientes necessários para atuarem das formas mais variadas e flexíveis. Ser heterogêneo, neste aspecto, é uma vantagem e tanto!

YO

 

SEGURANÇA

A segurança é tratada com seriedade, onde um relembra o outro (no momento da realização de algum procedimento) o que deve ser feito.
Este tópico deve ser entendido de forma global: seja na preparação de um determinado equipamento / ferramenta, no momento da ação propriamente dita ou apenas no deslocamento de um ponto A ou B, lá está o item “segurança” em primeiro lugar.


spartah_by_c4ym4n

 

 

 

 

TREINAMENTO

Mesmo durante o período em que estão alocados em uma missão, os treinamentos são realizados! Se houver lacunas na agenda da equipe, elas serão preenchidas com algum tipo de  atividade, seja esta física, técnica ou tática. Manipular o equipamento (limpeza e manutenção) também é algo constante e fomentado entre os que lá estão.

Tacticool-square-range

 

QUEM TREINA JUNTO, ATUA JUNTO

Para atingirem a excelência, precisam atuar juntos, afinal, de nada adiantaria um treinamento de qualidade se na hora da atuação cada um fosse operar com pessoas estranhas. Isso não quer dizer que não possam ter outras equipes acopladas ou que possam participar de uma determinada situação; todavia, cada uma atuará de forma distinta, em locais específicos e com responsabilidades diferentes.

293840

 

QUEM PODE MAIS, PODE MENOS

Preparar-se para o mais difícil permitirá a execução do que for mais fácil de forma muito mais tranquila. E caso o mais difícil realmente ocorra, a preparação (visando este cenário) permitirá aos membros a realização do que for melhor para o momento.

 

gty_dog_cat_ll_1203008_wmain

 

MENTALIDADE E VALORES

Fomentar (para si ou para outrem) pensamentos positivos e motivacionais tornam o ambiente “energizado”, onde a vibração contagiante proporciona vivacidade e vitalidade. É como um ciclo virtuoso benéfico a todos, inclusive aos que não participam da equipe! Doravante a isso, o reforço de valores positivos (éticos e morais) solidificam ainda mais a importância do aspecto mentalidade.

 

tacbeard-600-270

 

 

 

FINALIZANDO

A experiência enriquecedora da qual tive o privilégio em participar solidificou diversos conceitos; sobremaneira o que torna algo especial é a forma que encaramos nossas vidas! Todos podemos ser “operações especiais”, desde que façamos a nossa parte!

 

TACTICAL ROOM
Dinamismo I Integridade I Mentalidade

By | 2016-08-22T12:20:31+00:00 agosto 22nd, 2016|2 Comments

About the Author:

2 Comments

  1. Wesley 22 de agosto de 2016 at 14:40 - Reply

    Excelente o texto e em especial a conclusão.

    Pode me dizer com qual grupo conviveu nesses cinco dias?

    • admin 22 de agosto de 2016 at 21:01 - Reply

      Olá Wesley,

      Infelizmente um dos critérios para escrever o texto foi a não divulgação do grupo, pois o foco é justamente os conceitos, valores e experiências!

      Forte abraço e nos ajude a divulgar o projeto TACTICAL ROOM!

      Hurra!

Leave A Comment