O MUNDO DE NOVENTA CENTÍMETROS*

//O MUNDO DE NOVENTA CENTÍMETROS*

O MUNDO DE NOVENTA CENTÍMETROS*

Quatro anos como Navy Seal, e escalar ainda era algo desconfortável para Mark Owen. Desconfortável não, muito desconfortável…

A quarenta e cinco metros de altura, escalando um enorme rochedo, suando, mesmo com uma corda presa ao seu corpo por questões de segurança, a sensação – para quem tem medo – não é nada agradável. A mente gritava para seguir, mas o corpo se recusava.

Olhando ao longe conseguia ver a Strip de Las Vegas, a avenida principal e o grande deserto que rodeava a cidade. Olhando para baixo conseguia ver Jeff, um dos escaladores (instrutores) civis que acompanhavam a equipe neste treinamento. Eu estava tão paralisado, que lá de baixo ele percebeu e comentou:

-“Quer que eu suba ai para salvá-lo?”, perguntou de um jeito engraçadinho.

Esforcei-me para encontrar um novo ponto de apoio para as mãos, mas os dedos estavam cansados. “Estou quase escorregando e caindo”, pensei.

O instrutor finalmente veio em minha direção, um cigarro pendia dos lábios dele enquanto se mantinha agarrado perto de mim. Com uma das mãos na face da rocha, deu uma tragada e soprou a nuvem de fumaça azul, e logo após disse, em uma voz lenta e rouca:

-“Ei amigo, fique em seu mundo de noventa centímetros”.

Eu mal conseguia pensar naquela situação e o instrutor acabara de me passar um conselho enigmático? Automaticamente, pensei “de que diabos você está falando, irmão?”

Ele, parecendo adivinhar meus pensamentos, disse:

-“Apenas concentre-se em seu mundo de noventa centímetros. Concentre-se naquilo que você pode afetar. Você fica olhando para os lados, e nada disso pode ajudá-lo agora, não é”?

Concordei com um breve aceno de cabeça.

“Você deve estar calculando até onde vai cair, está olhando para os instrutores  lá embaixo, mas eles não virão até aqui ajudá-lo. Está olhando para a avenida em Vegas, o que vai fazer, uma aposta cujo prêmio é chegar ao topo? Não olhe pra mim, eu também não vou ajudá-lo, isso é com você. Você está escalando esta pedra, fique em seu mundo de noventa centímetros.”

Jamais vou esquecer essas palavras. É libertador livrar-se das coisas que não podemos controlar. Parece que funciona em praticamente qualquer situação. O mundo de noventa centímetros me ajudou a passar por tudo, desde escalar e saltar de paraquedas a mergulhar à noite quando o único jeito de manter o rumo é conservando o foco na bússola brilhante que levamos no pulso.

Das vezes que meu medo quase se tornou pânico (momento crucial em que as coisas fatalmente dão errado), me limitei a permanecer em meu mundo de noventa centímetros, e com isso, voltei a acertar.

O lema dos Navy SEALS é: “O único dia fácil foi ontem”, e durante toda a minha carreira assim foi.

Sempre que passo por um momento difícil, não deixo de me lembrar daquele momento da escalada, no penhasco, onde um conselho simples que recebi do instrutor me fez mudar para sempre: “Ei amigo, fique em seu mundo de noventa centímetros”.

 

Obs.: *O texto acima é uma versão romantizada, escrita pelo autor deste site. O texto completo (em sua versão original) está disponível no capítulo 3, do livro: “Não há heróis” (Editora Paralela – 225 páginas), do Navy SEAL Mark Owen. Esta versão adaptada foi disponibilizada apenas para a reflexão dos nossos leitores. Deixo, ainda, um enorme agradecimento ao amigo Esperandio (Esperandio Tactical Concept) pelo presente / livro. Nota 10 (em breve review aqui no TR)

 

Um FELIZ 2016 a todos! Que possamos nos focar, cada vez mais, no nosso mundo de noventa centímetros, aumentando nossa resiliência e solidificando nossos conceitos. HURRA!

Força & Honra!

TACTICAL ROOM
Dinamismo I Integridade I Mentalidade

 

By | 2015-12-30T21:55:41+00:00 dezembro 30th, 2015|3 Comments

About the Author:

3 Comments

  1. Leandro 16 de abril de 2016 at 19:20 - Reply

    Esse livro e espetacular! Recomendo com empenho!

  2. Marcelo Utsch 31 de dezembro de 2015 at 10:32 - Reply

    A síntese do texto (e da lógica ensinada à Mark Owen) é:

    Concentre-se no que é imediatamente importante, e esforce-se para superar aquele problema.

    Se vc conseguir realizar essas micro-macro proezas, tudo que fizer será feito da melhor maneira possível sempre!

    Leve em consideração que tudo que lhe acontece é importante e que tudo merece seu respeito e atenção.

    Olhe pra si, pra poder olhar além.

    E que venha 2016 com todos os percalços que ele promete trazer, e que tenhamos força e serenidade pra lidar com cada um deles, da melhor maneira possível!

    Never Stop!

    • admin 1 de março de 2016 at 12:23 - Reply

      Mais preciso, impossível, meu amigo Marcelo!

      Você como sempre, mirando – e acertando – na mosca!

      Abração!

      TACTICAL ROOM

Leave A Comment