O AIRSOFT COMO FILOSOFIA DE VIDA

//O AIRSOFT COMO FILOSOFIA DE VIDA

O AIRSOFT COMO FILOSOFIA DE VIDA

Iniciaremos nossa postagem com um texto escrito por mim, postado originalmente no fórum AIRSOFT BRASIL, onde discutíamos mais profundamente o que era (para cada um) o esporte / atividade Airsoft. Por motivos óbvios, o texto foi editado para que o leitor deste blog possa entender o contexto, haja vista, a mensagem original do interlocutor (autor do post original), não foi transcrita aqui.
O objetivo é o de fomentarmos a ideia de que, assim como outras atividades diversas, o Airsoft pode ser encarado não apenas como um esporte, mas sim, como uma filosofia de vida.

  • PONTO CENTRAL: Relacionamento entre as pessoas.

Tudo -no fim- desemboca na questão do relacionamento, da convivência entre os praticantes e jogadores. Não tem nem como negar, pois é justamente isso, afinal, não se joga AS sozinho. Caso tente, você conseguirá -no máximo- acertar latinhas no quintal de casa, e dê-se por satisfeito.

Devemos compreender também que a prática do AS é democrática, há espaço para todos; apenas excluiria os que não tem honra, pois neste caso, estaríamos mexendo diretamente em um dos princípios basilares do esporte. Não dá para tolerar jogador / operador que não tem honra, simples assim. No mais, o AS tem espaço para quem curte “mata mata”, para quem curte “milsim”, para quem joga com HiCap, para quem o odeia, para o gordinho operações especiais Pizza Hut, para o magrinho peso pena que não aguenta nem uma AEG ABS…enfim, como disse, é pra todos, e vamos dar um “HURRA” por isso! \o/

 

Membros do SO4 (Ba) em um dia de treinamento

Nesta seara (do “espaço para todos”), aprofundando um pouco mais, percebemos que tem a moçada que treina (porque gosta, sente prazer e se diverte) e a moçada que se reúne “apenas” para jogar descompromissadamente, sem se preocupar muito com técnica e/ou tática. Todavia, devemos respeitar e levantarmos a máxima do “CADA UM NO SEU QUADRADO”, e este deve ser, talvez, um dos maiores problemas que o esporte enfrenta atualmente, explico:

  • MILSIM x FOR FUN: Existe o “lado certo”?

De um lado, a moçada que quer relaxar a cabeça dando tiro de bolinha de forma descompromissada, jogando AS no estilo “Call of Duty”. Do outro, a moçada do MILSIM, das táticas, dos treinos, dos loadouts semelhantes aos reais. É ai é que temos que ter a maturidade e humildade para entendermos que apesar da ferramenta ser a mesma (AEG) a FILOSOFIA para com a atividade é diferente, portanto, como se diferem apesar de coexistirem, não se misturam, tal como água e óleo. Quando digo que não se misturam, não digo de forma jocosa, pejorativa, digo que não se misturam porque, como dito acima, “cada um no seu quadrado”.

A ferramenta é a mesma (líquido), mas o AS jogado “for fun” (água) e MILSIM (óleo) não conseguem conviver no mesmo campo, na mesma hora. Isso deve ser encarado de forma NATURAL, não existe problema algum!

Cada um vive o AS da forma que deseja viver; alguns como forma de relaxamento, válvula de escape do stress semanal…outros como esporte, saúde e outros como filosofia de vida. Particularmente, me enquadro na última opção. Sou melhor por isso? Claro que não, mas assim como acho que não sou melhor por achar que o AS (pra mim) vai além de uma atividade de fim de semana, também não me acho pior.

 

Membros do SO4 (RJ) em uma noite de treinamento

Lembram-se do BOOT CAMP realizado pela moçada do WKG / RECON / C4 e G.E.A.R? Pois bem, muitos criticaram os que prestigiaram o evento, porque estavam “brincando de militar”, ou “fazendo batismo em piscina”, pagando polichinelos, eram “operadores cosplay” e baboseiras do gênero. Se formos reduzir tudo a este ponto minimalista, utilizando esta visão míope e limítrofe, então TODOS (com exceção de alguns bons amigos que são DE VERDADE, e que – detalhe- são OS MAIS HUMILDES e que mais fomentam o esporte), somos perdedores, frustrados e “cosplay de prédio”.

Vídeo do Boot Camp 2011 – Rio do Sul / Santa Catarina

 

Vou explicar a forma que vejo, pois é a forma que sinto e que procuro praticar: Neste momento, permita-me traçar um paralelo com os motociclistas, notadamente possuidores de motos Harley Davidson: A HD não é uma moto, aliás, engana-se muito quem pensa que a Harley vende o “PRODUTO MOTO”. Ela vende a EXPERIÊNCIA, ela vende ESTILO DE VIDA, vende integração entre as pessoas, vende sensação de liberdade, irmandade através do seu clube seleto, o HOG, vende uma válvula de escape, portanto, é EXATAMENTE essa minha relação com o AS, obviamente guardando as devidas proporções.

Poderia aqui citar trocentos outros “estilos de vida”, como o dos surfistas, ou da moçada que curte lutas, ou das pessoas do mergulho, voo livre, moutain bike e etc, etc ,etc que adotaram para sí a atividade / esporte que os faz ir além.

Quando vemos um vídeo da moçada do Green Mountain Rangers (equipe norte-americana conhecida mundialmente) correndo, treinando, malhando, tentando chegar a uma melhor performance, é disso que eu estou falando! Note que o fundador (seja ele quem for) não está sozinho nessa “loucura”, pois é uma equipe que tem muito mais do que um par de membros.

Citei uma equipe gringa, mas posso facilmente estender o exemplo pra equipes nacionais, como a moçada da RECON UNIT, WKG , G.E.A.R, GOAT, BLINDER, BIRDS, GALOS DE BRIGA*, do próprio SO4 (equipe da qual sou um dos membros fundadores) que levam a sério tanto quanto o GMR, guardando a devida proporção APENAS na facilidade de se arrumar equipamentos de qualidade a preços justos, ponto.

(*OBS.: Para não ser injusto, já deixo claro que esqueci de VÁRIAS equipes que TAMBÉM comungam com esse mesmo espírito, portanto peço desculpas aos amigos que são adeptos dessa filosofia)

E agora vem algo bacana: Mesmo que “todo esse esforço” resulte em “morte” do time no minuto inicial da partida, NÃO TEM PROBLEMA, pois como diz o grande Quicksilver: “Não colecionamos escalpos”, e isso é um FATO! Podemos colecionar missões cumpridas, podemos colecionar amigos resgatados, podemos colecionar tomadas de ângulo feita da forma correta, podemos colecionar uma troca de carregador feita rapidamente…mas ESCALPOS? Definitivamente, não.

E, pra fechar, algo muito importante: Somos sim JOGADORES/ OPERADORES de uma atividade que nos permite o retorno VIVO, DESESTRESSADO e FELIZ para casa, para nossa a família e amigos. Aquele que acha que precisa dar um passo à frente, que busca a realidade, que estude, preste seu concurso, pague sua etapa e vislumbre seu futuro em uma briosa e honrada força de segurança pública disponível em nosso país.

Temos vários exemplos SENSACIONAIS por aqui, não é difícil de encontrar motivação e inspiração para essa árdua jornada de vida.

Força & Honra!

Aranha

post originalmente criado: quarta-feira, 13 de agosto de 2014, no antigo blog tacticalroom.blogspot.com.br

By | 2015-12-17T21:41:26+00:00 outubro 4th, 2015|9 Comments

About the Author:

9 Comments

  1. JF 9 de setembro de 2017 at 03:25 - Reply

    HOP !!
    Salve aranha,
    Muito massa o blog e o artigo.
    Faço parte do grupo que considera airsoft uma filosofia de vida, e que filosofia!!
    O esporte mudou muito o meu eu e me orgulho demais por isso. Podem achar cosplay ou o que quiserem, o importante é o quanto esse esporte me faz bem e a todos nós que gostamos.
    Resolvi reler todas matérias e comentar de uma a uma.

  2. […] via plataforma gratuita WordPress – o Tactical Room. Em nossa estreia trouxemos o texto: “O Airsoft como filosofia de vida”, uma pequena ode ao esporte que escolhemos praticar e, porque não dizer, nos […]

  3. Edson Barros 18 de dezembro de 2015 at 12:45 - Reply

    é isso….perfeito !!

  4. Fernando Lobo 18 de dezembro de 2015 at 11:04 - Reply

    Sensacional, Aranha, cada palavra! É tudo que penso e compartilho! Parabéns mais uma vez por provar que não somos loucos sozinhos, mas um bando deles, kkk!

  5. André guiguer 18 de dezembro de 2015 at 01:38 - Reply

    Realmente o paralelo com os motociclistas faz todo sentido, assim como os amantes de qualquer outro esporte, notoriamente vimos uma mudança em seu estilo de vida para uma adaptação melhor naquilo que gosta, que faz sentido para sua vida, assim gerando um aprendizado surreal, uma, literalmente falando, experiência de vida sensacional, eu posso afirmar que o airsoft mudou muito meu modo de agir, de pensar, de falar e até mesmo, mais hilariamente falando, de se vestir, entre uma coisa e outra, superação de limites físicos e mentais, medos e comodismos, que nos colocam a prova em todo momento, assim, sentindo orgulho de você mesmo, e isso faz com que sempre esteja em busca de mais, se superando cada dia! Parabéns pelo tópico camarada! Vida longa ao Aranha

  6. Robson 18 de dezembro de 2015 at 01:06 - Reply

    Sensacional Aranha, mais uma vez derrubando paredes.
    Não canso de aprender com o TR ou TT e me orgulho de compartilhar o pouco que sei com o que aprendo aqui todo novo post.
    Não pare de ser assim, ser você mesmo e trazer toda essa bagagem pra galera.
    “Não coleciona escalpos “

  7. Bagattini 17 de dezembro de 2015 at 22:50 - Reply

    É isso ai mermão! Airsoft é muiti mais que atirar PVC, é um estilo de vida!

  8. Marcelo Utsch 17 de dezembro de 2015 at 22:38 - Reply

    E que seja assim sempre! Never Stop!!!
    Abraço meu velho!

  9. Rodrigo 17 de dezembro de 2015 at 22:03 - Reply

    Quem colecionava número de inimigos abatidos, foram os americanos na guerra do Vietnam. Diferentemente da 2° Guerra, onde os êxitos eram contabilizados pelo terreno que conquistavam, no Vietanam, o êxito era a contagem de corpos dos inimigos abatidos.

Leave A Comment